Dando as caras

Designers para ficar de olho

Queremos mostrar o que de novo acontece no cenário fashion nacional. Por ai nos deparamos com trabalhos bacaníssimos de novos designers. A primeira leva vem do Centro Universitário Belas Artes de São Paulo.

Antonio Borges

Coleção de camisas oversized femininas com acabamento de alfaiataria tradicional.

Antonio, 28 anos, nasceu na cidade de Jucás, interior do estário do Ceará, mas mora em São Paulo há 27 anos. O jovem, fascinado por alfaiataria, estudou em 2016 camisaria sob medida na Associação dos Alfaiates e Camiseiros do Estado de São Paulo. Em 2017 criou sua marca homônima.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ariadne Cordeiro e Gisele Faria

A dupla desenvolveu uma coleção atemporal através de técnicas de patchwork e quilting, com modelagem plana e minimalista.

Nascida em Curitiba, Paraná, Ariadne tem 46 anos e atualmente ministra aulas e workshops em patchwork. Já sua dupla, Gisele, tem 23 anos e é de Ribeirão Preto, interior de São Paulo. Ambas se formaram em Design de Moda pela Belas Artes em dezembro de 2016, mesmo ano em que participaram da SP-Artes.

321729_732215_ariadne_cordeiro_e_gisele_faria_web_

 

Maisa Mariottini

Memórias Vestíveis: Peças com estamparia simbólica das referências da infância da design. Estampas em tinta a óleo, design gráfico e estamparia digital. Utilização de tecidos naturais, como seda, algodão e linho. Todos os modelos recebem uma frase diferente bordada no avesso.

Maisa Mariottini, 24 anos, nasceu em Araraquara, interior de São Paulo, e se mudou para São Paulo para estudar Moda na Belas Artes. Formada no primeiro semestre de 2017, trabalhou durante quatro anos na marca Isolda. Hoje, trabalha na sua própria marca com uma sócia.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Beatriz Barbosa Azevedo

Seleção de acessórios – pulseiras, brincos, colares e anéis – geométricos feitos com impressora 3D em diversas cores.

Com 21 anos e formada em dezembro de 2016, Beatriz começou a ter contato com prototipagem 3D ainda na faculdade e se apaixonou pela técnica, que a fez comprar uma impressora 3D. Após desenvolver uma coleção de acessórios impressos em 3D para o TCC percebeu o tamanho do potencial que esse mercado oferecia e decidiu abrir sua própia empresa, a WE.ME 3D.

321729_732211_beatriz_barbosa_web_

 

Anúncios